Archive for junho, 2008

Dar não é fazer amor ??

Segundo elas … NÃO !!!


“Dar é dar.
Fazer amor é lindo,
é sublime,
é encantador,
é esplêndido,
mas dar é bom pra cacete.

Dar é aquela coisa que alguém te puxa os cabelos da nuca,
te chama de nomes que eu não escreveria,
não te vira com delicadeza,
não sente vergonha de ritmos animais.

Dar é bom.
Melhor do que dar, só dar por dar.
Dar sem querer casar,
sem querer apresentar pra mãe,
sem querer dar o primeiro abraço no Ano Novo.

Dar porque o cara te esquenta a coluna vertebral,
te amolece o gingado, te molha o instinto.

Dar porque a vida  é estressante, e dar relaxa.
Dar porque se você não der para ele hoje, vai dar amanhã, ou depois de amanhã.
Dar sem esperar ouvir promessas, sem esperar ouvir carinhos, sem esperar ouvir futuro.
Dar é bom, na hora.
Durante um mês.
Para os mais desavisados, talvez anos.
Mas dar é dar demais e ficar vazio.
Dar é não ganhar.
É não ganhar um eu te amo baixinho perdido no meio do escuro.
É não ganhar uma mão no ombro quando o caos da cidade parece querer te abduzir.
É não ter alguém pra querer casar,
para apresentar pra mãe,
pra dar o primeiro abraço de Ano Novo e pra falar: “Que cê acha amor?”.
Dar é inevitável, dê mesmo, dê sempre, dê muito.
Mas dê mais ainda,
muito mais do que qualquer coisa,
uma chance ao amor, esse sim é o maior tesão.
Esse sim relaxa,
cura o mau humor,
ameniza todas as crises e faz você flutuar!”

Esse texto circula na internet com a autoria de Luis Fernando Veríssimo, porém, foi escrito para uma revista chamada “TPM” fazendo parte de um texto chamado “Os Problemas das Moças Modernas”, da coluna “Neuras”

Depois vou ver se descubro o nome da pessoa q escreveu. Naum gosto de postagens sem o nome do autor.

Mas fala sério……..mulherada que sabe das coisas né!!!!

Anúncios

Quem é Você ???

Eu sou viciado

Sou viciado em carinhos
em abraços
em beijos
em afagos

Sou viciado em afetos
em ternura
em toque
em meiguice

Sou viciado em mar
em luar
em amanhecer
em chegar

Sou viciado em afeto
em sedas
em sussurros
em roçar as peles

Sou viciado em gostar
em filhos
em música
em amores

Sou viciado em cinema
em escultura
em fantasias
em literatura

Sou viciado em me emocionar
em pessoas

Sou viciado em sonhar
em devaneios
em me iludir
em insistir

Sou viciado em Brasil
em café
em sabores

Sou viciado em esperança
em voltar
em ficar

Sou viciado em amar
em todas as formas de vida
em todas as formas de sonho
em todos os jeitos de dar

Em recordar sorrisos
em recordar abraços
em recordar amores

Em nostalgia!
Em recordar..!Viver!

E assim, vou morrer de overdose
cheirando amor
enlouquecida em desejos
delirando poesia.

(Magda Maria Almodóvar)